Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Gotas de Sol

Seg | 31.05.21

O Draco pregou-nos um susto

Menina do Mar

5.jpg

      Desde que estamos a fazer as mudanças da casa arrendada para a nossa casa que o Draco ficou em casa da minha mãe. Era ela que estava a tomar conta dele já há 1 mês… Nós íamos lá e ele sentia que não o tínhamos abandonado.

     A minha mãe mora numa moradia e à porta da nossa casa estão sempre gatos que costumam andar por lá. Não são nossos, andam na rua, mas damos comida. Conheço esta rotina desde pequenina. Vão-se embora uns e vão nascendo outros…

       O que aconteceu?

     Bem, sempre que a minha mãe abria a porta de casa, o Draco tentava sair, mas ela conseguia impedir sempre. Na sexta-feira, ela abriu a porta e não conseguiu impedi-lo de sair. Ficou logo nervosa porque o gato era nosso e estava à responsabilidade dela.

     Tentando acalmá-la eu dizia que ele quando tivesse fome voltava e que ela não se preocupasse com isso. No fundo, eu não queria que ela sentisse culpa, porque, na verdade, não a tinha. Não conseguiu travá-lo a tempo…

      Depois disso ela andou a tentar apanhá-lo, sem sucesso.

     No Sábado, eu e o L. fomos lá. Mexemos no saco da ração para ver se ele aparecia e nada… Eu já tinha na cabeça que não o voltaríamos a ver…

     Passado uns minutos chega o meu pai de carro e disse que ele andava atrás da casa. Eu ainda comentei que há aqui perto um gato muito parecido e que podia não ser ele, mas fomos lá de imediato…

       A minha mãe de um lado, o L. do outro e eu no meio a tentar agarrá-lo. Era mesmo o Draco!

      Estava difícil porque ele estava tão assustado que não se deixava agarrar. Até de mim fugia… Até que o L. me diz “Agarra-o. Não tenhas medo.”. Dei um passo e consegui alcançá-lo. Tinha o coração a mil, coitadinho…

      Ele tinha passado a noite na rua e sem comer nem beber água. Levámo-lo para dentro de casa e comeu quase sem fôlego. Bebeu água. Ouvia um barulho qualquer e ficava logo de orelhas no ar. Estava muito assustado e até de nós tinha medo.

     Agora já está em nossa casa (e na casa dele!). Acalmou-se, demos-lhe banho, comida e água. No Sábado, ao final do dia, já estava mais tranquilo.

      No Domingo de manhã abrimos a porta e ele deitou-se junto de mim, como veem na foto! Passou o tempo todo a ronronar.

      Agora já está bem, a conhecer todos os cantos da casa nova!

      Não voltes a pregar-nos um susto destes, Draco!...

      História com final feliz!

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.